Conhece o sistema de trocas que sua empresa pode utilizar?

Imagine um sistema de permuta de bens e serviços auxiliando empresas do Brasil a crescerem. Pois é, este sistema já existe, só precisa de divulgação
 

Há seis meses, o empresário Sérgio Ambrosino reformou sua loja de móveis Spazio A, em São Paulo, gastando metade do orçamento previsto. Isso porque pisos, máquinas de ar condicionado, tapetes e vidros foram adquiridos no sistema de permutas do qual a empresa participa desde o ano 2000. Os materiais, todos novos, foram trocados por móveis da própria loja de Ambrosino, por meio de transações organizadas pela Tradaq. 

Há 11 anos no mercado brasileiro, a Tradaq intermedia mais de 600 trocas entre empresas por mês, em valores que variam de R$ 500 a R$ 500 mil. O objetivo é fazer com que os participantes incrementem seus lucros e reduzam seus gastos, trocando aquilo que têm pelo que necessitam.

Segundo Marco Del Giudice, diretor comercial da Tradaq, as empresas que trabalham com materiais de fácil transação, como gráficas e agências de publicidade, têm vantagens no sistema. “Compra e venda não são realizadas, necessariamente, entre duas empresas. A permuta multilateral permite que você ‘venda’ seu produto para uma empresa X e ‘compre’ serviços de uma empresa Y”, explica.

Cada empresa participante possui uma espécie de “conta corrente” com a Tradaq. Cada venda é registrada como crédito e cada compra como débito. “Como não lidamos com dinheiro, nossa moeda foi apelidada de único”, conta Giudice, que comemora os 1.300 clientes acumulados pela Tradaq, sendo que 700 deles estão ativos, ou seja, realizaram uma operação de venda ou troca nos últimos três meses.

Para Ambrosino, da Spazio A, que realiza, em média, cinco operações de troca por mês, o sistema ainda é falho no quesito divulgação. “Muita gente não entende como funciona e tem receio de participar. Para a oferta de negócios crescer, o número de empresas participantes deveria ser ampliado”, acredita.

Da mesma opinião compartilha Paulo Rocha, dono da Combate Dedetizadora, de Santo André (SP). Há 10 anos ele realiza trocas de serviços por material de escritório e gráfico, além de uniformes para funcionários. “Hoje, 10% do faturamento da minha empresa vêm das trocas”, comenta. Para Rocha, o sistema ainda acumula outra vantagem: “De forma indireta, os funcionários da Tradaq vendem meu produto”.

As operações entre os cadastrados podem ser realizadas via internet ou em encontros como almoços e jantares oferecidos pela Tradaq, que por ser responsável pelo contato entre as empresas e por autorizar ou não as transações, detém 10% do valor negociado nas vendas.*

*Fonte: Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s