A busca é sempre fim

entende aquelas experiências na vida que acabam sem ponto final, em eternas reticências, em suspiros… sem palavras?
entende quando falta um final, falta a pontuação adequada, faltam os olhos nos olhos, as sombrancelhas próximas e… adeus?
entende os gritos sinceros, em contraste aos silêncios ociosos e sujos? e vice-versa?
acho que só entendo da vida, suas plenitudes, suas ausências, e a falta da fala fluida. íntegra. com hesitações, exclamações e pontos, finais ou não.

Esse conto de Marcelino Freire, interpretado pelo brilhante Walmor Chagas, foi, sinceramente, uma das coisas que mais me encantou nos últimos tempos. Tanto pela beleza, pela simplicidade de suas palavras, pela belíssima interpretação como, sem dúvida, pela semelhança dos sentimentos do protagonista com os meus…

“-Dizem que sempre falta uma palavra… E é verdade! Verdade! Verdade!”

Sim. Um dia, pontuamos corretamente este texto a dois pulmões.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s