fosso

mulher-anoitecoeu quero escrever assim:
sem poetas, sem rimas, sem caprichos
só com os nós de dentro de mim

porque não faz sentido
ser assim
cem sentidos
não vividos
dentro do posso
roendo o osso

nos pós do fosso

de dentro de mim

porque não me deixa elétrica
fazer um acorde sem métrica
um acordo sem réplica
com a Outra de dentro de mim

é porque não tem som
o sonho
sem sono
o sono
sem sonho
compartilhado
sem sentido
cem acordes
sem acordo
com as outras
métricas
neste capricho
sem fim

eu quero escrever assim
apenas me ouvir
ouvir esta voz
desconexa
desaguda
desconvexa
sem vexa
que grita
sem dizer
absolutamente nada
sem esconder
absolutamente nada
sem censurar
o nada
de tudo
que tem a dizer

eu quero gritar esta vaia completa
esta sombra complexa
que não me deixa dormir

até por o preto
no branco
deitar a cabeça
no banco
e finalmente

esque-
-SER

eu quero o som agudo
e perfeito
que não deixe espaço
que não tenha jeito
o som dos tristes
e desesperados
que sobrevivem
nos espaços

]entre[

é que eu procuro aquele elo
aquele selo
aquele verbo
que diga
único
uníssono
o que a Outra
teima em manter escuro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s