Sub-texto

em

Lembra dos começos? As portas abertas, as rosas vermelhas, as palavras certas nas bocas perfeitas?

Ele carregava a sua mala até o carro, e depois dizia que sentiria cada segundo da sua ausência, não?

Ah, os começos… Pois ninguém me entende quando digo (com sinceridade) que não troco os meios por nada: a real sensação de conhecer, a cada arroto que passa, a verdadeira humanidade do troglodita-romântico que pediu pizza sim, pois estava com preguiça de cozinhar, mas, por outro lado, pensou em vc, que poderia estar se esfolando sozinha na cozinha…

Ok, peguei pesado: sem arrotos, e um pouco mais de charme, por favor! Que os meios merecem mais respeito, senhores-humanidade! Mas as delícias da liberdade conquistada com os meios não têm preço. Têm?

(Vídeo sumariamente sugado – e autorizado – daqui.)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s