Flux

dali1.gif

Tempo é dinheiro?

Se fosse, haveria troco.
Se fosse, haveria troca.
Se fosse, eu pediria juros
pelo tanto roubado
pelo tanto mal-dado
pelo tanto esquecido. 

-Roubaram 3 celulares meus, comprei novos, um de cada vez.
Roubaram a minha carteira, comprei uma nova, bloqueei meus cartões, reclamei meus documentos.
Roubaram-me um beijo certa vez. Roubei de volta.-

Mas o que me roubaram ontem,
não tem perdão
devolução
ou troca.

Dinheiro escorre pelas mãos.
Tempo abandona o já-gasto-corpo-inteiro
e as rugas – seus caminhos – marcam o fluxo no tecido.

Tem correção?
Corretivo: tempo não aceita maquilagem.

Anúncios

5 comentários Adicione o seu

  1. marcelo disse:

    Simplesmente bonito. “E não há tempo que volte”. Tempo senhor da verdade, nada mais completo.

  2. Pois é, Marcelo… E, mesmo sabendo disso, qual não é nossa surpresa ao nos percebermos literalmente “matando o tempo” com coisas e pessoas que já não fazem mais sentido? Com idéias ou sentimentos que não abandonamos? Com frases que repetimos e que nunca interiorizamos?
    E a vida se transforma nisso: um eterno aquário fechado e redondo, de promessas vazias, de palavras contornando os silêncios, de vãos nos quais nos instalamos e esperamos o tempo passar, fechar todas as feridas e curar as ausências…

    É o tempo que não volta mesmo. E senhor da verdade sim, mesmo que esta verdade diga mais sobre quem NÃO SOMOS, ou não fomos capazes de ser…

    Grande beijo!
    Bia

  3. Quando li isso aqui não pude me furtar de dar a minha contribuição em relação à questão do tempo. Penso muito no tempo. Acho ele muito forte, tanto como algo concreto, como enquanto categoria, conceito. E escrevo muito sobre esse senhor de barbas brancas. Vou colcar aqui algo que , acredito, se relaciona com o que Marcelo disse. Está no meu Blog. Beijo pra você, que já conhecia de nome(através de citações do próprio Marcelo).

    O Devir

    Morte, tempo
    Tempo, morte
    A morte engole o tempo
    O tempo traz a morte.

    Fernanda Passos

    Ps: A morte é metafórica, se refere às várias mortes as quais estamos sujeitos.
    E tem outros escritos falando sobre o tempo. Marcelo conhece.

    Acho que sintetiza as idéias aqui postadas.

    Bjs.

  4. Pirata Z disse:

    Bia, salve, salve, paz e bem.

    Na condição de editor do sítio do Fausto Wolff, não poderia deixar de lá publicar essa beleza de poema.
    http://www.olobo.net
    Clap, clap, clap!
    Baita abraço e besito meus.

  5. Fernanda,

    Suas palavras não sintetizam nada. Vão além: complementam minhas idéias e me nutrem para novas postagens.
    Gostei muito de tua visita aqui. Volte sempre, querida! Amiga do Marcelo é amiga minha também.
    Muitos beijos!

    Piratíssimo (cujo nome não posso revelar em público, ou posso?),

    Vindo de você, caríssimo, a quem tanto admiro e respeito, só poderia, é claro, ficar envaidecidíssima.
    (Caramba, pq será que conversar com vc é quase sempre no superlativo? E, pior, é sempre sincero. Não pude evitar.)
    Muitos e muitos beijos, recheados de indignação pela falta de tempo para lhe escrever mais…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s