"Coisas minhas…

em


… talvez você nem queira ouvir” (Ana Carolina e Totonho Villeroy in: “Pra Rua me Levar”).

“Deve lutar pacientemente diante dos espelhos para salvar seu rosto: não se trata de vaidade nem de medo de envelhecer; ela deseja se manter como é, exatamente como é. Talvez fosse isso o que eu preferia nela: essa fidelidade intensa e severa ao menor traço de sua imagem.” -Jean Paul Sartre in: “A Náusea”.

(Mas, susto na boca do estômago: o espelho mudou e não aceita mais definições antigas.
Não vou pedir desculpas pela sinceridade dos sentimentos.
Não aceito desculpas desnecessárias nem ressentimentos -as rugas são minhas e eu mesma as carrego.
O tempo ajustou as distâncias, e os caminhos estão todos no meu rosto.)

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Érico Fumero disse:

    É assim o caminho do tempo. Mudança… tudo muda, tudo dança.
    Abreijo

  2. Linaldo disse:

    e eu ajustando o tempo em que estive ausente daqui, perdendo tanta coisa boa. bjs

  3. Geórgia disse:

    O tempo ajustou as distâncias, e os caminhos estão todos no meu rosto…… belo demais isso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s