Serra Prende Livros na Augusta

em

No dia 7 de setembro, foram apreendido livros e um livreiro foi preso pela Guarda Civil de São Paulo. Constrangidos em exercer esta função, alguns guardas diziam que cumpriam ordens. Os seus superiores são o prefeito José Serra e o subprefeito da Sé, Andreas Matarazzo. Nos últimos dez anos, as calçadas da Rua Augusta têm oferecido a cidade de São Paulo, a exemplo de Paris, Madri, Berlim e Nova Iorque, uma saudável atividade com suas bancas de livros usados. Esta calçada e seus livreiros são patrimônio genuíno da população e ajudam a socializar o conhecimento longe do controle do governo e das imposições massificantes do mercado. […] O poder público, ao contrário da repressão, deveria estimular e proteger aqueles que facilitam o acesso à cultura. […] Por uma política cultural voltada à população. Por incremento das vendas de livros em diversos pontos da cidade, nos parques, etc.
Todos ao Ato Público de Repúdio às Ações do Governo Serra. Neste sábado, 17 de setembro, das 17 às 19 horas, na Rua Augusta, em frente ao Espaço Unibanco de Cinema.

(dados retirados do site: http://www.eraodito.blogspot.com/)

Anúncios

11 comentários Adicione o seu

  1. Anita disse:

    Olá, Beatriz, que prazer recebê-la lá na casinha do Gato da Manuela. Aproveito para dar-lhe uma satisfação… Como um tempo atrás tivemos problemas, deixamos de responder aos comentários dos nossos visitantes no nosso blog. E ainda mais receber tamanho elogio! Por isso, optamos por, à medida do possível, entrar diretamente em contato com os amigos blogueiros. E sobre o post… putz, estou mesmo por fora do mundo! Nem fiquei sabendo de tamanho absurdo! Vou divulgar aos amigos sobre o ato público. Valeu, Beatriz. Volte sempre que puder. Um gde beijo, Anita.

  2. Anonymous disse:

    Linda iniciativa, seu blog está muito bom. Lerei-o todos os dias. Mas por favor, dê justo crédito aos poemas abaixo. Quero saber qual(is) é(são) seu(s).

    Tazzo

  3. Palhaço Bocudo disse:

    Oi, Beagal! Bacana o novo espaço… Vou tentar aparecer no ato de protesto marcado para o sábado 17. Você sabe, não sou muito militante. Mas gostaria de me animar mais. Te vejo. Um beijo.

  4. mario cezar disse:

    beatriz: escrever é entregar a própria carne (toda roída) . abraços

  5. Beatriz Galvão disse:

    Anita,

    que bom recebê-la por aqui tb! Seu site é ótimo e vou linká-lo com certeza… estou colocando a casa em ordem aos poucos…
    Voltarei sim, não vivo sem o que me nutre: literatura de boa qualidade!
    Quanto ao ato, divulgue a todos os que conhecer! Chega de governos que, além de não darem prioridade à educação, relegam à cadeia quem investe em cultura!!! Vou escrever aqui um post sobre o que penso sobre o papel do escritor/intelectual/artista hoje em dia…
    Volte tb mais vezes! Beijo grande!

  6. Beatriz Galvão disse:

    Tazzo,

    quanta honra receber sua visita! E, além da visita, um comentário! Estamos evoluindo… rs. (Ainda vou dedicar um espaço desse blog a alguns de seus textos, com a sua permissão, claro).
    Bem, todos os textos não-assinados, são meus. Quer dizer, só dou crédito aos que são de terceiros, entende? Então, os que não são de Florbela Espanca, Cavafis, Ana Cristina César etc, pode criticar à vontade, mas a cada tapa dê um beijo, por favor, que é para doer menos…
    Volte sempre sim! Vc sabe que te adoro!

  7. Beatriz Galvão disse:

    Palhaço Bocudo-João

    É assim que se fala! Temos que participar mais do que diz respeito a atitudes como essa, já que todos os desmandos contra a cultura nos afetam diretamente, não?
    E depois do manifesto, quem sabe aquele vinho para unir os amigos?
    (Vou te linkar aqui tb, como sempre! Só linko o que gosto mesmo e sou fã das suas “desbocadas” contra o status-quo.)
    Palhaços somos nós, João…
    Te beijo.

  8. Beatriz Galvão disse:

    Mário Cézar,

    vai ver que é por isso que estamos pela metade…
    Obrigada pela visita, querido. Vc sabe que tb aqui vc encontra um lugar especial reservado, né?
    Lindo o poema para tua avó!
    Te beijo!

  9. Vertov Rox. disse:

    proibir de vender livros é que deveria ser crime!

  10. Beatriz Galvão disse:

    Nail

    Pois é, mas como a “cultura” brasileira é andar por aí, sem cultura, eles pensavam que essa atitude assassina iria ficar impune! Mas a internet existe para divulgar informações, e a rua ainda será palco de manifestações de opiniões.
    Amém!

  11. Alma disse:

    Olá, Beatriz

    Venho aqui pela primeira vez…voltarei, certamente.

    Quanto aos livreiros da calçada da Augusta, estou indignada! Eu sou uma compradora assídua de um deles, que já me conseguiu livros maravilhosos.

    Protesto apoiado!

    Um abraço,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s